Revista Princípios Digital

terça-feira, 7 de junho de 2011

Nota oficial da UNE e da UBES sobre as manifestações no Espírito Santo


A União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) vêm a público declarar oficialmente seu apoio e solidariedade aos manifestantes que foram às ruas do Espírito Santo lutar por melhorias no transporte público e sofreram truculenta e injustificável repressão policial.

A violenta ação da polícia, responsável pela agressão e detenção de manifestantes, não combina com o regime democrático e os direitos consagrados de liberdade de expressão e manifestação. Os estudantes exigem a apuração da responsabilidade pelos lamentáveis fatos e a retratação do poder público local.

A UNE e da UBES são históricas defensoras da democratização do transporte público, pelo passe livre e contra o aumento de tarifas e se colocam ao lado dos estudantes que encampam estas lutas em todo o território nacional.

domingo, 5 de junho de 2011

O Movimento Estudantil da UFES é nota 10!!... O DCE-UFES nota ZERO!

Em protesto pelo passe livre para todos os estudantes, pela redução do preço da passagem nos ônibus, pela melhoria nos transportes coletivos superlotados que violam os direitos humanos dos seus usuários e contra a brutalidade e o abuso de autoridade da polícia do ES que atirou e jogou bombas dentro da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) o Movimento Estudantil (ME), professores e funcionários da UFES protestaram em uma passeata gigante, com mais de 5 mil pessoas pelas ruas de Vitória, capital do ES, nesta sexta-feira 03/06/2011.

Foi a maior manifestação dos últimos anos do ME no ES, os estudantes, professores e funcionários da UFES saíram em passeata do  portão principal da UFES, passaram pela Reta da Penha sendo aplaudidos pela população e caminharam pacificamente até a praça de pedágios da 3ª Ponte, na Enseada do Suá, onde a passagem dos carros foi liberada para todos.

Vamos aos Fatos:  

Na quinta-feira, 02 de junho de 2011, aproximadamente às 7h um grupo pequeno de trinta estudantes começou um protesto no centro de Vitória, capital do ES, em frente ao Palácio Anchieta. Este era para ser mais um protesto entre tantos outros que já aconteceram com esta finalidade nos últimos 20 anos de Movimento Estudantil organizado e pacífico. Com a tolerância inicial das forças policiais o movimento manteve as duas vias interrompidas e la pelas 8h começou a ganhar o apoio dos estudantes que chegavam ao centro da cidade e também de algumas pessoas que chegavam para trabalhar e estudar. Foi quando a Rede Gazeta("P.I.G.") com seu conservadorismo de direita de plantão começou a fazer a cobertura do movimento. A postura reacionária deste grupo midiatico acabou despertando e incitando as pessoas progressistas que moravam no centro para ir participar da manifestação e esta realmente começou a ganhar volume atingindo aproximadamente 200 pessoas la pelas 10h da manhã. Foi ai que eu e outros estudantes da República Comunista de Vitória, espontaneamente, também aderimos de forma solidária ao movimento que já acontecia.

A partir deste ponto o movimento saiu do controle dos que iniciaram o protesto e passou a ter vida própria, passou a ser dirigido pela massa dos participantes que logo direcionou no sentido do espontaneísmo! Em um momento uma via era aberta, em outro era fechada, demonstrando a falta de direção do movimento, ou seja, nenhuma entidade do Movimento Estudantil organizado estava dirigindo a ação da manifestação! Mas ela ainda transcorria de forma pacífica! Foi quando tentou-se formar uma comissão para tentar negociar uma reunião com o governador em exercício. Lá pelas 12h, um grupelho ligado ao PSOL irresponsavelmente começou a radicalizar o movimento e fechou novamente as duas pistas em frente ao Palácio e ateou fogo novamente em pneus rompendo as negociações que já estavam avançando. Parece que este fato foi a gota d'agua para desencadear a ação da polícia. E para piorar, este grupelho parecia estimular os manifestantes a enfrentar a polícia a qualquer custo! Foi neste exato momento que a tropa de choque da PM-ES também perdeu a razão e marchou para cima dos estudantes jogando bombas de gás e iniciando as agressões e o confronto! Foi a polícia que deu início à onda de violência injustificada e brutalidade anti-democrática que se seguiu dai para a frente! E na minha opinião, a unica responsável pelo que veio a acontecer depois!

O protesto se alastra para a UFES 

Fugindo da perseguição, do abuso de autoridade e da brutalidade policial um grupo de estudantes ligados à uma tendência chamada "Levante", que parece ser uma das diversas divisões ligada ao PSOL, fugiu  para dentro da Universidade Federal do ES e conseguiu sensibilizar outros estudantes que já acompanhavam atônitos aos fatos ocorridos no centro da capital. E assim, a revolta estudantil que já demonstrava um caráter espontâneo no centro, mobilizou outras forças do movimento dos estudantes da UFES que, logo também fecharam as duas pistas em frente da universidade federal. É ai, que realmente as coisas começaram a se complicar! A polícia, a PM-ES, não satisfeita com com a lambança feita com os direitos humanos e a democracia no centro de Vitória, rumou para a UFES e atacou brutalmente os estudantes novamente! O vídeo abaixo revela o momento exato em que a universidade federal foi atacada pela polícia! E maiores detalhes, podem ser obtidos em uma simples pesquisa no You Tube!

DCE-UFES tira nota ZERO

De forma irresponsável e eleitoreira, militantes de um grupelho que se autodenominam "Levante", e militam no DCE-UFES, insistem em novamente iniciar outra manifestação desorganizada ainda nesta mesma quinta-feira à noite. Com os estudantes enfurecidos e indignados, agora pelos ataques absurdos feitos pela PM-ES contra o campus da Universidade Federal que chegou a atingir professores e crianças que assistiam a uma peça no teatro da UFES, estes militantes que se dizem do PSOL, lideram e saem pelas ruas de Vitória em passeata em direção ao pedágio da 3ª ponte e tudo desemboca em uma tragédia maior ainda. A PM-ES volta, de forma irracional, a atacar os estudantes e prende e espanca aproximadamente 27 estudantes como pode ser visto no relato do vídeo abaixo:

Resultado? Dezenas de estudantes presos e feridos, um estudante que havia sido preso e fotografado perdeu o emprego, o seu sustento, na manhã seguinte e a imagem do Movimento Estudantil organizado e pacífico foi prejudicada por pseudo-militantes irresponsáveis ligados a outros interesses como foi descrito e denunciado em parte de uma reportagem do jornal A Tribuna, de  sábado (04/06/2011), que tomo a liberdade de divulgar abaixo: Não é novidade para ninguém minimamente esclarecido que este, o Governo Casagrande (PSB), é um governo em TRANSIÇÃO, ele está em DISPUTA. As VELHAS FORÇAS das elites locais da Província Medieval do Espírito Santo querem colocá-lo de joelhos, como fez com o governo Vitor Buais do antigo PT! As grandes empresas capitalistas locais, querem domesticar o Governo Casagrande... e por ai vai... O Movimento Estudantil do Passe Livre para Todos, já está nesta luta a décadas e tem sua legitimidade que foi adquirida históricamente, e não pode ser usado para fins eleitoreiros imediatistas de quem quer que seja! Militantes do Movimento Estudantil organizado podem ter seu partido político, seu time de futebol, sua religião e etc, isso é bom para aprofundar a democracia e deve ser estimulado! Mas nunca se pode aparelhar uma entidade estudantil para estes fins! Isso era feito na época da ditadura militar por uma necessidade histórica, HOJE NA DEMOCRACIA ISSO É ABSURDO! Agora, os protestos do Movimento Estudantil organizado, continuarão na luta contra o aumento da passagem, pelo passe livre para todos os estudante e pelo respeito aos direitos humanos das trabalhadoras e dos trabalhadores que são transportados em ônibus superlotados, contra a violência e o abuso de autoridade da PM-ES e principalmente pelo direito de aprofundar a democracia no nosso Brasil! Agora, temos boas chances de vitória, mas teremos que tomar mais cuidados com os sabotadores e oportunistas de plantão!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Estudantes fecham a Avenida Fernando Ferrari em frente à Ufes e o centro da capital do ES

Amanhã 03/06/2011 haverá novo protesto contra a violência policial do ES que atirou para dentro do campos e nos estudantes e professores, pelo Passe Livre para todos os estudantes, por um transporte coletivo que respeite os direitos humanos dos estudantes e das trabalhadoras e trabalhadores do ES! A concentração será sexta às 17h em frente ao Teatro da UFES!!!! Leve sua bandeira, vamos unificar todas as forças do Movimento Estudantil da UFES!!!!!!

Veja o vídeo das agressões e das violações dos direitos humanos feitos pela da polícia: 


http://qik.com/video/f94622228bac4886ad8eeb657ba2ed00

Cerca de 500 estudantes fecharam os dois sentidos da Avenida Fernando Ferrari, na tarde desta quinta (02/06/2011), em frente à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Os estudantes estavam protestando contra o aumento das passagens e pelo passe livre para todos os estudantes do ES.

Em seguida, os policiais entraram em formação e foram em direção aos estudantes para dissipar o protesto. Houve agressão covarde e sem motivos pela policia. De dentro da Ufes estudantes reagiram às agressões policiais jogando pedras contra os policiais, que intensificaram as agressões com tiros de bala de borracha e bombas de efeito moral. 

Os estudantes chegaram a formar uma barreira humana pacífica, mas foram novamente agredidos e dispersados por policiais com spray de pimenta. Dois manifestantes foram algemados sem motivos e há relatos de feridos por balas de borracha que foram disparadas.

Estudantes seguem para a Terceira Ponte

Com a intervenção policial e o fim do protesto em frente à Ufes, os estudantes novamente se reuniram e decidiram seguir em novo protesto agora para a praça de pedágio da Terceira Ponte. Por volta das 17h20, eles seguiram pela Avenida Fernando Ferrari, sentido Serra - Vitória.

Protesto pela manhã fechou o Centro de Vitória


Durante toda a manhã os estudantes, visivelmente sem a articulação de lideranças, liberavam parte das vias, e logo em seguida, retornavam ao bloqueio total das duas avenidas. O vai e vem dos manifestantes durou até das 10h30, quando se iniciou as articulações para uma comissão de estudantes ser recebida no palácio Anchieta pelo vice-governador Givaldo Vieira. A primeira reivindicação dos estudantes era de que Givaldo - que assumiu as negociações na ausência do governador Renato Casagrande, que está em Brasília - fosse até o local para negociar ou recebesse os estudantes.

Após pelo menos sete horas de pista totalmente fechada no Centro de Vitória capital do ES por estudantes que protestam pedindo passe livre, melhorias nos ônibus, contra a superlotação nos coletivos e também contra o aumento da passagem, o Batalhão de Missões Especiais (BME) da Polícia Militar atacou covardemente os estudantes e liberou a Avenida Getúlio Vargas. A avenida Jerônimo Monteiro também está com trânsito liberado.


Por volta de 13h:25, os homens do BME partiram ao encontro dos estudantes reunidos e a polícia começou um conflito agredindo os estudantes: militares lançavam bombas de efeito moral e os manifestantes reagiram à agressão policial e arremessavam pedras retiradas das calçadas. As janelas do primeiro pavimento do Palácio Anchieta estão com os vidros quebrados. Os estudantes subiram as escadarias do Palácio Anchieta para se refugiarem.


Após subir as escadarias, o grupo de estudantes seguiu para a Praça João Clímaco, localizada ao lado do Palácio Anchieta, já na Cidade Alta. Os militares do BME seguiram o mesmo trajeto e também foram até a praça, e cercaram e agrediram os estudantes. Os militares permanecem na guarda do Palácio. Para tentar conter os estudantes, o BME utilizou spray de pimenta, balas de borracha e bombas de efeito moral. 

O trânsito na Avenida Getúlio Vargas, que estava totalmente bloqueada, no trecho localizado em frente ao Porto de Vitória e Palácio Anchieta, começou a fluir por volta de 13h:55 e já está normalizado. Os estudantes deixaram o Plácio Anchieta por volta de 14h:30 e gritando "roletaço", pegaram ônibus em direção à Universidade Federal do Espírito Santo onde os protestos continuaram.

O protesto


O protesto de estudantes no Centro de Vitória, em frente ao Palácio Anchieta, parou completamente o trânsito nas avenidas Jerônimo Monteiro e Getúlio Vargas e toda a capital do ES. Com isso, as Cinco Pontes e a Segunda Ponte, que dão acesso à região Sul de Vitória, ficaram completamente congestionadas desde às 7h da manhã desta quinta-feira (02/06/2011). A manifestação foi para reivindicar a liberação de passe livre para os estudantes no transporte público, pela melhoria das condições do transporte público na grande vitória onde os estudantes e trabalhadores e trabalhadoras são transportados de forma desumana e pela redução das passagens de ônibus da Grande Vitória!



quarta-feira, 1 de junho de 2011

PCdoB REALIZA CURSO DE MARXISMO-LENINISMO NO ES

Aconteceu neste último sábado (28/05/2011), mais um curso de formação ideológica da Escola Nacional do PCdoB no ES, este contou com a organização da Secretaria Estadual de Formação e sua comissão estadual e teve a participação de vários militantes e amigas(os) do partido. O curso de Iniciação ao Marxismo-Leninismo abordou o tema “A concepção de mundo do materialismo dialético e histórico” no nível das noções gerais (Curso de Nível I) e foi elaborado pela Fundação Maurício Grabois. 

 

A aula foi ministrada pelos professores da Escola Nacional do PCdoB Ricardo Tristão (núcleo de filosofia) e Maurício Vilela (Estado e Classes). Em sua abertura ela contou com a apresentação de um vídeo do camarada Dyneas Aguiar falando da importância do estudo para os comunistas e em seguida foi apresentado e desenvolvido a apresentação padrão da aula, a aula ainda conta com uma apostila que destina-se a subsidiar o acompanhamento do curso e a continuidade do estudo, após sua realização. 

O Curso de Iniciação ao Marxismo-Leninismo organiza-se em cinco temas: 1º) A concepção de mundo do materialismo dialético e histórico; 2º) Origem e desenvolvimento da sociedade; 3º) A dinâmica do modo de produção capitalista; 4º) O socialismo como necessidade histórica; 5º) Concepção, história e lutas do Partido Comunista. Eles são desenvolvidos nas aulas de Filosofia, Estado e Classes Sociais, Economia Política Marxista, Socialismo e Partido. 


Este curso, juntamente com o Curso Básico em Vídeo (CBV), compõe Nível I da Escola Nacional do PCdoB. Ambos apresentam noções teóricas gerais que nos ajudam a entender a realidade brasileira e a política do PCdoB, na luta pela sua transformação. Uma leitura básica é recomendada para o Nível I é o Manifesto do Partido Comunista, escrito por Marx e Engels em 1848 e este livro está no final da apostila. É um livro de importância histórica que se mantém atual, tanto pela análise rigorosa que faz das contradições do capitalismo, quanto pela discussão das tendências do desenvolvimento desse modo de produção e da sua necessária superação por uma sociedade de tipo superior, sem exploradores e explorados. 

   x   

Ao lado da participação no CBV e no Curso de Iniciação ao Marxismo-Leninismo, o estudo desse material representa uma contribuição muito importante para qualificar e desenvolver a atuação da nossa militância. Sem dúvida, as companheiras e os companheiros que derem conta dessa tarefa saberão valorizar esta iniciativa da Escola Nacional do PCdoB e principalmente poderão aplica-la no seu dia a dia. E assim estarão aptas (os) a continuar os estudos, no Nível II, quando serão desenvolvidos Conceitos Básicos do Socialismo Científico.