Revista Princípios Digital

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

"A Arte da Guerra", uma obra milenar de mais de 2500 anos!

"A Arte da Guerra", é uma famosa obra militar da antiguidade chinesa. O pensamento e doutrinas filosóficas expostas na obra foram e ainda são aplicados amplamente nas áreas militar, política, econômica e até na vida pessoal de quem reconhece seu valor. É também, um rico pensamento materialista, mostra a mudança de contradições entre inimigos ou adversários, entre partes objetivas e subjetivas da realidade. Nesta obra se constata que na antiguidade já se tinha a noção clara de que nossa realidade está sempre em movimento!

Sun Wu, ou Sun Tse, aqui no ocidente é mais conhecido como Sun Tzu, é um grande pensador militar e estrategista da última fase do período histórico chinês denominado "Primavera e Outono". É tido como o fundador da teoria militar na China. Sua obra "Arte Militar de Sun Tse" é muito famosa e estudada em todo o mundo, sendo considerada a mais antiga obra militar conhecida. No ocidente sua obra foi popularizada como "A Arte da Guerra de Sun Tzu".

Áudio-Vídeo do livro completo com os 13 capítulos

Sun Tzu, nasceu aproximadamente a 2546 anos atrás quando a China estava dividida em muitos reinos. A sua terra natal foi o Reino Qi, situado no atual distrito de Gao Tang, Província de Shandong. De uma família aristocrática, Sun Tzu recebeu boa educação quando criança, pois seu avô e bisavô eram grandes generais, de forma que aprendeu muitos conhecimentos militares de seus antepassados, o que assentou bons alicerces para a criação de sua obra.

O início de A Arte da Guerra, em um livro de bambu
da época do reino do Imperador Qianlong, século XVIII

Por volta do ano 548 antes de nossa era ocidental, ocorriam sucessivas guerras civis entre os diferentes clãs do Reino Qi, sendo também envolvida nelas a família de Sun Tzu. Cansado das intermináveis lutas, Sun Tzu deixou o tumultuoso Reino Qi e foi ao Reino Wu, no Sul, a centenas de quilômetros de distância de sua terra natal, e ali passou a levar uma vida solitária para dedicar-se inteiramente ao estudo da arte militar, à espera de uma oportunidade para concretizá-la na prática.

Nessa altura, outro talento, de nome Wu Yuan, também se encontrava refugiado no Reino Wu. Os dois tornaram-se muito amigos.

Tempos depois, Wu Yuan foi nomeado pelo Rei para um importante cargo e recomendou seu amigo Sun Tzu ao Rei, dizendo-lhe que seu amigo era muito talentoso na arte militar. Então, Sun Tzu foi nomeado general e passou a discutir os assuntos do reino com o soberano, e este apreciava muito a sabedoria do seu novo general.

Estátua de Sun Tzu na China

Pouco depois, ocorreu uma guerra entre o Reino Wu e o reino vizinho Chu. Comandando as tropas dos wus, Sun Tzu ganhou cinco batalhas sucessivas, vencendo os chus. Depois disso, venceu outros dois reinos também vizinhos, de forma que o Reino Wu, onde estava o estrategista Sun Tzu, conquistou uma posição hegemônica no Sul da China.

Com as sucessivas vitórias e a hegemonia, o rei tornou-se auto-suficiente e arrogante, sem ouvir mais as sugestões de seus generais e ministros, onde até matou Wu Yuan, amigo de Sun Wu. Perante isso, Sun Tzu retirou-se e passou mais uma vez a levar uma vida solitária, escrevendo exclusivamente a sua obra.

Sun Tzu faleceu a 2491 anos atrás, deixando-nos uma obra magnífica  denominada "Arte Militar de Sun Tse".

Documentário que exemplifica algumas táticas de Sun Tzu

A obra constitui uma sintetização teórica das práticas militares do período histórico chinês chamado Primavera e Outono, de dois mil e quinhentos anos atrás, assim como uma importante obra do pensamento militar até os nossos dias atuais. É parte integrante da tradição cultural chinesa e ocupa importante lugar na história da literatura mundial. Os eruditos japoneses qualificam-na de "bíblia da arte militar do Oriente", e os investigadores norte-americanos denominam-na como o "primórdio da arte militar do mundo".


A Arte da Guerra, é também um rico pensamento materialista, mostra a mudança de contradições entre inimigos, entre partes objetivas e subjetivas, entre fracos e fortes, entre vitórias e derrotas, e entre vantagens e desvantagens. A obra divide-se em 13 capítulos com 6000 caracteres chineses. Logo no início, o livro assinala ser a guerra um assunto de suma importância que diz respeito à vida ou morte de um país e de uma nação, que merece especial atenção. Em seguida, expõe os problemas táticos e estratégicos, os fatores essenciais que decidem a vitória ou derrota de uma guerra, como por exemplo as condições políticas, naturais e geográficas, as qualidades dos generais e a construção do exército, etc.

Estátua de Sun Tzu no Japão

A obra destaca especialmente o conhecimento que se deve ter do adversário, a ofensiva, a concentração das forças para atacar o ponto-chave do inimigo e a surpresa no assalto etc. Hoje em dia, a influência da Arte Militar de Sun Tzu não se limita apenas nas forças armadas do país, o livro não é apenas alvo de estudo ou de pesquisa dos militares, é leitura obrigatória para políticos e comerciantes, porque estes consideram sempre o mercado como campo de batalha e logicamente, a arte militar do campo de batalha real pode ser utilizada para os assuntos comerciais. Nos assuntos políticos também é assim, a realidade está sempre em movimento, pois uma das definições de política é aquela que diz que a política é a guerra feita por meios pacíficos, sem mortes. Dai, sua influência se amplia ainda para muitas áreas também da vida dos indivíduos em sociedade. 

Sun Tzu


Para saber mais visite China ABC :
  http://portuguese.cri.cn/chinaabc/

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

A Líbia de Kadafi: o que a mídia capitalista jamais mostrará!



I - A ONU CONSTATOU EM 2007 QUE A LÍBIA TINHA: 


1 - Maior Indice de Desenvolvimento Humano (IDH) da África (até hoje é maior que o do Brasil);

2 - Ensino gratuito até a Universidade;

3 - 10% dos alunos universitários estudavam na Europa e EUA, tudo pago;

4 - Ao casar, o casal recebia até US$ 50.000 para montar casa;

5 - Sistema médico gratuito, rivalizando com os europeus. Equipamentos de última geração, etc;

6 - Empréstimos pelo banco estatal sem juros;

7 - Inaugurado em 2007, o maior sistema de irrigação do mundo, vem tornando o deserto (95% da Líbia) em fazendas produtoras de alimentos;



II - PORQUE "DETONAR" A LÍBIA ENTÃO?

Três principais motivos:

1 - Tomar o seu petróleo de boa qualidade e com volume superior a 45 MIL MILHÕES de barris em reservas;

2 - Fazer com que todo o mar Mediterrâneo fique sob o controle da OTAN ou  NATO. Só falta agora a Síria;

3 - E provavelmente o principal:

- O Banco Central Líbio não está ligado ao sistema financeiro mundial.

- As suas reservas são toneladas de ouro, que garantem o valor da moeda, o dinar, que desta forma está resguardado das flutuações do dólar.

- O sistema financeiro internacional ficou possesso com Kaddafi, após ele propor, e quase conseguir, que os países africanos formassem uma moeda única desligada do dólar.


III - O QUE É O ATAQUE HUMANITÁRIO PARA LIVRAR O POVO LÍBIO:

1 - A OTAN ou NATO comandada, como se sabe, pelos EUA, já bombardeou as principais cidades Líbias com milhares de bombas e mísseis em que um único projéctil é capaz de destruir um quarteirão inteiro. Os prédios e infra estruturas de água, esgotos, gás e luz estão seriamente danificados;

2 - As bombas usadas contêm DU (Urânio empobrecido) (causa cancer e deformações genéticas);

3 - Metade das crianças líbias estão traumatizadas psicologicamente por causa das explosões que parecem um terramoto e racham as estruturas das casas;

4 - Com o bloqueio marítimo e aéreo da OTAN, as crianças sofrem principalmente com a falta de medicamentos e alimentos;

5 - A água já não mais é potável em boa parte do país. De novo as crianças são as mais atingidas;

6 - Cerca de 150.000 pessoas por dia, estão a deixar o país através das fronteiras com a Tunísia e o Egito. Vão para o deserto ao relento, sem água nem comida;

7 - Se o bombardeio terminasse hoje, cerca de 4 milhões de pessoas de uma população de 6,5 milhões de pessoas, estariam a precisar de ajuda humanitária para sobreviver: água e comida.

.
Em suma: O bombardeio "humanitário", acabou com a nação Líbia. Nunca mais haverá a "nação" Líbia tal como nos dias de hoje.


Este é o resultado do 2º maior assalto a mão armada da história da humanidade! O maior ainda é o Iraque! 
Assalto e roubo de petróleo!
Esta é a nossa "civilização" ocidental capitalista! Esta é a quadrilha comandada pelos EUA e Europa!

--
Há ocasiões em que o silêncio é ouro, mas há outras em que é pura covardia. (John Blanchard) 

domingo, 28 de agosto de 2011

Cresce o Movimento de Greve e Paralisação na UFES

Por Ricardo Tristão*

Uma nova dinâmica social se iniciou nesta sexta-feira (26/08) na UFES. Começou com os professores da Universidade Federal do ES (UFES) através da Associação dos Docentes da UFES (Adufes) que realizaram uma assembleia geral para decidirem sobre a sua greve. A pauta incluiu a Campanha Salarial de 2011 e o indicativo de greve, onde foi avaliado a atual rodada de negociações da semana passada com o Governo Federal.


No âmbito nacional, parece que o Setor das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) aprovou por unanimidade, no dia 13 de agosto, o indicativo de greve nacional. A orientação da reunião do setor das Ifes foi a realização dessa nova rodada de assembleias gerais para avaliar o resultado da mesa de negociações com Ministério do Planejamento e debater a data para o início da greve nacional da categoria dos professores.

Mas nesta sexta(26) o Fórum de Professores das Instituições Federais de Ensino Superior, PROIFES e a Andes assinaram com o MPOG um termo de acordo para os docentes das carreiras do magistério superior e EBTT. Enquanto isso a decisão tomada pela Adufes nesta sexta (26) foi a de fazer uma paralisação já no dia 31/08 (quarta-feira), com o indicativo de início da greve na UFES a partir do dia 5 de setembro.

A Reação do DCE e do Sintufes

Esta decisão dos professores repercutiu em toda a UFES. Os estudantes organizados pelo DCE, logo em seguida à assembleia da Adufes fizeram assembleia em frente ao restaurante universitário (RU) e decidiram realizar uma ocupação simbólica na Reitoria até a quarta-feira(31).

Cerca de 300 estudantes participaram deste ato e em seguida saíram pelas salas de aula da UFES paralisando todas as aulas da sexta-feira. “Isso mostra que os estudantes estão unidos e solidários aos trabalhadores”, revelou o Coordenador Geral do Sindicato dos Trabalhadores na UFES (Sintufes), José Magesk. Ele esteve na assembleia da Adufes e citou, a “enrolação” do governo federal nos quase 90 dias de greve dos trabalhadores da UFES.

A greve dos trabalhadores técnicos da Ufes já ocorre desde 07 de junho deste ano como parte de um movimento nacional, onde diversos setores da universidade estão parados e impossibilitando a continuidade das aulas. Mais de 15 universidades federais têm servidores em greve. Os funcionários públicos querem aumento de salário. O piso salarial da categoria é R$ 1.034,00. Os trabalhadores do Sintufes querem R$ 1.635,00.

Professores e Estudantes do Ifes nas rua

Também em greve desde o início de agosto, os professores, técnicos federais e estudantes do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes, antigo CEFETES), já se uniram e fizeram um abraço simbólico na unidade de ensino localizada em Jucutuquara, Vitória, na quinta-feira (18/08). Segundo o professor Hudson Cassio, porta-voz do comando de greve da categoria, "Nós estamos fazendo este movimento aqui no Espírito Santo para mostrar ao capixaba o quanto é importante a expansão da educação federal e tecnológica, com construção de novos prédios, mas coma manutenção da qualidade de ensino que sempre fez parte da história dessas unidades federais. Está havendo um risco de perda dessa qualidade do ensino se não houver uma política de valorização do servidor público", afirmou.

Mobilização Estudantil da UFES

Neste sábado (27) teve início pelas redes sociais do Facebook, Twitter, Orkut e por e-mail uma intensa mobilização dos estudantes e por alguns professores da UFES para impedirem as aulas e o funcionamento de toda a universidade na semana que vem. Afirmam que conforme foi deliberado pela assembleia geral dos estudantes da UFES no dia 26/08 farão uma paralisação dos 4 campi nos dias 29, 30 e 31/08. E no domingo (28), as 18h no DCE será realizada uma reunião para discutir as atividades da paralisação que provavelmente poderá paralisar também parte de Vitória com o fechamento da avenida Fernando Ferrari em frente à universidade.


Assembleia dos estudantes

Militantes ligados ao Psol e setores da direita capixaba já falam abertamente em aproveitar este movimento para voltar à caga contra o governador do ES Renato Casagrande e aproveitar e iniciar um movimento de oposição à presidenta Dilma no estado. Já é visível e preocupante o apoio que a imprensa conservadora do ES está dando a esta pequena parcela dos estudantes que não representam a maioria dos universitários da UFES.

*Ricardo Tristão é Cientista Social em graduação na UFES.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Conferência Livre de Cultura e Juventude e fundação do CUCA-ES


Circuito Universitário de Cultura e Arte - CUCA da UNE

Galera estamos te fazendo um Convite Especial para hoje sexta, 19 de agosto, das 16h às 20h, na Sede do Grupo Vira Lata – Cidade Alta – Vitória (na ladeira ao lado da catedral na cidade alta), para a fundação do Circuito Universitário de Cultura e Arte da UNE – CUCA-ES. O evento contará com a presença do coordenador geral do CUCA Fellipe Redó e vários agentes culturais, atores, produtores, músicos artistas de todos os gêneros. Entre estudantes da UFES, UVV e outras instituições. Depois do debates teremos várias intervenções culturais regadas a muita cerveja... Sintam-se todos convidados!



Lutamos pela valorização e pela fomentação de nossa cultura. Queremos ver as crianças, os jovens e os adultos de todas as idades presentes nas manifestações culturais. Queremos que as Leis de incentivo sejam justas e igualitárias, e privilegiem a todos que queiram fazer cultura sem discriminação ou “grupos beneficiários”.


Conferência Livre de Cultura e Juventude:
• Apresentar propostas “Solucionáticas” para a fomentação da Cultura no Espírito Santo entre os jovens;
• Apresentação do formato do CUCA e sua organização na Grande Vitória para fomentar e valorizar as manifestações culturais no Espírito Santo com Fellipe Redó e Buda;

Contatos:
Anderson Lima: 9855.2531
dinhovites@hotmail.com

ASSISTA