Revista Princípios Digital

sábado, 21 de junho de 2014

Renato Casagrande participa da convenção do PCdoB-ES




O atual governador Renato Casagrande, pré-candidato à reeleição ao governo do estado do Espírito Santo, discursa na Convenção Eleitoral Estadual do Partido Comunista do Brasil no ES (PCdoB-ES). Este discurso vale a pena ser assistido por toda a comunidade política capixaba, o recado foi dado!

A Convenção Estadual do PCdoB do Espírito Santo foi um grande sucesso! Hoje, (21/6) foi realizada a Convenção Estadual do PCdoB do Espírito Santo, que contou com a participação de 91 delegados e mais de 500 militantes e simpatizantes. Diversos Partidos, parlamentares e outros membros do poder executivo e legislativo estiveram presentes prestigiando o evento, inclusive o governador do estado, Renato Casagrande.

A Convenção foi a síntese de um longo trabalho realizado pelo Comitê Estadual do ES, com o apoio dos Comitês Municipais, do conjunto da militância e de todos os filiados do PCdoB-ES que participaram ativamente do esforço coletivo para o fortalecimento e ampliação da influencia do PCdoB em todo o estado, em torno das principais bandeiras do Partido e em sintonia com suas frentes de luta nos movimentos sociais, na disputa de ideias e na ampliação da participação do PCdoB nos espaços institucionais, credenciando os comunistas para realizar a maior campanha eleitoral de sua história no Espírito Santo, para eleger nossos candidatos e para reeleger Dilma, presidenta da república.

O caminho que leva à Assembleia legislativa está pavimentado e os comunistas têm chances reais de voltarem a ter representantes no parlamento estadual.

A Convenção aprovou 42 candidatos e candidatas para disputar vagas na Assembleia Legislativa; escolheu 3 candidatos à Câmara dos Deputados e indicou o nome de um camarada para ocupar a vaga de vice-governador e outro para a vaga de senador na chapa majoritária ainda não definida, tarefa a ser concluída pela direção estadual, com poderes delegados pela Convenção, embora os convencionais tenham indicado por unanimidade preferência pela coligação a ser liderada pelo atual governador e pré-candidato à reeleição, Renato Casagrande.

Também foi delegada à direção estadual poderes para a definição das coligações proporcionais, como também a complementação ou adequação da listas dos nomes aprovados como candidatos e candidatas que concorrerão a vagas para a Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa.

Como disse um dos candidatos aprovados, "vou ser muito sincero: que ambiente maravilhoso o PCdoB conseguiu construir! Na realidade foi mais que uma convenção, foi um encontro de família, onde todos se alimentaram de um prato delicioso chamado PCdoB, o partido mais democrático do Brasil".

Fonte:
http://www.vermelho.org.br/es/noticia/244543-67

terça-feira, 10 de junho de 2014

Brasil está preparado para a Copa do Mundo, diz Dilma em pronunciamento

A presidenta Dilma Rousseff fez um pronunciamento de abertura da Copa do Mundo de Futebol para todo o Brasil no dia 10-06-2014.



Em mensagem ao Congresso da Fifa, Dilma diz que Brasil está pronto

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, leu nesta terça-feira (10), na cerimônia de abertura do 64º Congresso da Federação Internacional de Futebol (Fifa), mensagem em que a presidenta Dilma Rousseff diz que o Brasil está pronto “para realizar a Copa das Copas”. O evento está sendo realizado no Transamérica Expo Center, em São Paulo.


 
Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, representando o governo federal na abertura do Congresso da Fifa, em São Paulo.

“Trabalhamos pela Copa tanto quanto queremos ganhá-la”, afirma a presidenta na mensagem. Dilma não participou da cerimônia, mas enviou o texto, que foi lido pelo ministro no final da tarde.

No texto, Dilma destaca que a seleção brasileira foi a única a participar de todas as copas e é a maior campeã, com cinco títulos. Segundo a presidenta, o país trabalhou muito para sediar o evento pela segunda vez [a primeira foi em 1950]. “Construímos e reformamos 12 estádios espalhados de norte a sul deste país continental para que a Copa alcançasse todo o território nacional e integrasse a nação. Implantamos e organizamos equipamentos urbanos e serviços que darão suporte ao Mundial e que ficarão depois como benefício ao povo brasileiro.”

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, que abriu o congresso, disse que conversou anteriormente com Dilma e que ambos concordaram que a Copa “será um grande acontecimento”. Em discurso, Blatter disse esperar e desejar “que todas as atividades beligerantes parem nesse período e se concentrem no futebol”.

Para o congresso, que, segundo Blatter, conta com participação de representantes de todas as 209 associações que integram a Fifa, a federação contou com um forte esquema de segurança, que inclui equipamentos de raio X e detetores de metal, tal como nos aeroportos. O esquema inclui ainda a presença de homens do Exército armados.

Também participaram da cerimônia de abertura do congresso o ex-jogador Ronaldo Fenômeno, a apresentadora Fernanda Lima, o cantor palestino Mohammed Assaf, o pianista Nélson Ayres e a cantora Maria Rita.

Desentendimentos

A decisão da presidenta Dilma Rousseff de não participar do evento pegou os organizadores da entidade de surpresa.

Segundo comunicado divulgado pela Fifa em abril, a entidade dizia que a presidenta tinha confirmado presença para o mandatário da Fifa, Joseph Blatter, por telefone. Porém, na noite desta segunda-feira (9), a entidade divulgou que a maior autoridade brasileira no Congresso será o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Dilma participará apenas da abertura e do encerramento da Copa do Mundo.

Nos últimos meses, Dilma e Blatter não têm falado a mesma língua. A presidenta até chegou a dizer aos jornalistas brasileiros que o dirigente era "um peso" para ela.

Mas, para além da ruptura política com o governo brasileiro, o congresso da Fifa também terá como tema central as denúncias de corrupção envolvendo a escolha do Catar como sede da Copa do Mundo de 2022, e as mudanças estatutárias da entidade envolvendo as eleições do próximo ano. Enquanto o presidente Joseph Blatter tenta prolongar seu 'reinado' à frente da Fifa, a UEFA de Michel Platini tenta proibir pessoas acima de 72 anos de se candidatem à Presidência. A medida afetaria diretamente o suíço, que possui 78.

Questões éticas também aprofundam o debate sobre um novo mandato de Blatter, que estuda dar um bônus como prêmio para o trabalho das confederações. A medida insinua uma clara compra de votos, ato que é negado pelo atual dirigente.


Fonte : Portal Vermelho [ http://www.vermelho.org.br/noticia/243886-10 ]