Revista Princípios Digital

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Fatores fundamentais da Arte da Guerra nas mídias digitais

Não é novidade para ninguém que trabalha com assessoria de comunicação o lugar destacado da internet e, por consequência, das redes sociais. 



A Pesquisa Brasileira de Mídia (PBM) realizada pela Presidência da República, divulgada em 2015, informa que 48% dos brasileiros usam a internet e ficam em média cinco horas conectados por dia, tempo superior ao gasto com a televisão que é o veículo mais popular do país com 95% de preferência. Entre esses, 92% estavam conectados por meio de redes sociais, principalmente o Facebook (83%), o WhatsApp (58%) e o Youtube (17%).

A título de exemplo, desde fevereiro de 2011, quando começou oficialmente suas operações no Brasil, o Facebook alcançou a inacreditável marca de 92 milhões de usuários! No mundo, em 2015, já são mais de 1,49 bilhão de usuários. Um espaço de atuação nada desprezível, concordam?

A plataforma de internet é um espaço privilegiado para atuação dos mandatos parlamentares porque dispensa os tradicionais mediadores, ao mesmo tempo exige uma atenção específica, e é aí que entra a figura do “social media marketing”. Essa função é recente, e por isso ainda estigmatizada ou classificada como dispensável. São esses profissionais os responsáveis pelas ações, estratégias, relacionamento e produção de conteúdos que integram a comunicação de uma instituição ou, no nosso caso, de um mandato.

O mandato do deputado Chico Lopes tem uma estrutura de assessoria de comunicação que privilegia a atuação nas redes sociais. Nosso formato conta com um assessor de comunicação digital e um assessor de imprensa/comunicação.


Para atuar bem nas redes sociais é preciso conhecer o perfil do parlamentar, seus objetivos e o público a quem se destina sua comunicação, o público-alvo. Essa é a base de um bom trabalho, além de, naturalmente, um pouco de pimenta.

O deputado Chico Lopes está presente no Facebook –onde concentramos 90% da nossa atuação nas redes – também no Twitter e YouTube, que se dividem nos outros 10% de nossas ações. Essa preferência acontece não por ignorarmos, ou darmos menor importância, para outras redes, mas pelo fato de que cada estratégia pede um nível de comprometimento e foco. Agora, nosso foco é o Facebook.

Iniciamos nossa atuação específica nesse segmento em 2009 e ao longo de sete anos chegamos a marca de quase 80 mil curtidores. Mas isso é só um detalhe. A média, no ano de 2015, de alcance da página bate 3 milhões por semana, chegando a alcançar, em um determinado período, mais de 15 milhões de pessoas em sete dias. Isso significa dizer, por exemplo, que alcançamos em torno de 70 vezes mais do que o número de pessoas que curtiam a página naquele período. O nosso público é composto por 47% de homens e 53% de mulheres; destes, 52% estão entre os 18 e 34 anos e detém maior presença na página. Somente na capital cearense, temos um número em torno de 42.872 pessoas, o que garante para a página um alcance médio, dentro de Fortaleza (e somente), de pelo menos 105.066 por semana.
Viva o amor e faça a guerra!

“O General que compreende a guerra é o ministro do povo e o protetor da nação” Sun Tzu 

Cada assessoria deve desenvolver sua própria metodologia de trabalho com as redes sociais. A experiência com o deputado Chico Lopes nos mostrou que é preciso disputar opinião e estar atento às possibilidades. Posicionamentos firmes acerca dos temas mais polêmicos em discussão rendem bons debates e ampliam a influência do parlamentar. Essa talvez seja a maior lição que extraímos do nosso trabalho nos últimos 3 anos. Um pequeno caso para ilustrar o que estamos falando:

#LoveWins (Facebook)

Com a aprovação do casamento homoafetivo em todos os 50 estados norte-americanos, as redes sociais se dividiram entre mensagens de amor e ódio. Mensagens positivas e negativas disputavam espaço a cada atualização. Foi quando entramos com a foto do perfil do deputado Chico Lopes coberta com um sutil, porém visível, arco-íris. Dezenas de mensagens questionaram, naquele momento, a sexualidade do deputado. Em questão de minutos – talvez segundos, já que o nervosismo era grande por conta da polêmica – criamos uma peça única para responder todos os questionamentos que provavelmente viriam a seguir, reforçando os ataques. Uma singela bandeira LGBT com os seguintes dizeres “eu não preciso ser gay para lutar contra a homofobia.” Em questão de minutos (aí sim, minutos mesmo), a peça já havia sido compartilhada mais de 5 mil vezes e em 24 horas bateu a marca de 169.289 curtidas, 2,2 mil comentários e 169.721 compartilhamentos.

Para determinar a estratégia de atuação das redes, nos valemos de preciosos conselhos de alguém que não era social media, mas entendia muito das táticas de combate. Em A Arte da Guerra, Sun Tzu observa que é importante avaliar o terreno e utilizá-lo a seu favor, com suas vantagens e desvantagens; que é imprescindível conhecer a si mesmo, assim como ao seu exército, e os possíveis inimigos que enfrentas; que é preciso avaliar o momento oportuno de atacar e de recuar. Esses, entre outros aspectos citados nesse valioso livrinho, são pontos que observamos como primordiais na nossa rotina de convivência nos meios. AArte da Guerra é um manual de estratégia para as redes sociais.

Eu costumo dividir a estratégia de Sun Tzu em cinco tópicos, que são claros como estratégia de guerra (ops!), de uso das redes sociais, tendo sempre em vista que guerra, para Sun Tzu, era a arte de se defender e atacar somente quando extremamente necessário, seguindo estratégias bem definidas.Vamos a elas:

Terreno: É extremamente importante definir em quais terrenos iremos combater. Sendo objetivo: qual rede social se adequa mais a nossa estratégia de comunicação direta com nosso exército e futuros soldados? Facebook, Twitter, Instagram, Youtube, Snapchat… Opções não faltam. É preciso analisar o melhor terreno e montar acampamento. Mas, lembre-se, as condições podem ser sazonais. Não é errado trocar o local quando necessário. Vença em todos!

Metodologia: Definido o terreno, é sempre importante explorar os métodos de utilização possíveis. Vídeos, textos, gifs, imagens, entre outros. A partir disso, trace um plano de atualizações adequado à sua realidade.

Doutrina: Disputar espaço na timeline do internauta não é uma tarefa fácil, é preciso ter disciplina! Estudar os melhores horários (que mais repercutem) é imprescindível. Sempre aposte e poste neste horário.

Influência moral: Atualizar o seu exército com informações para que eles travem suas próprias guerras. Ser o canal de informação relevante é influenciar e garantir as ferramentas necessárias para que sua rede de contatos tenha autonomia e iniciativa para debater dentro e fora da sua página.

Comando: Convoque-os para a guerra. Chame seu exército para enfrentar os inimigos, em seu terreno, através de seus métodos, utilizando sua influência moral sobre eles. É hora do ataque ou da defesa e seu poder de fogo é o número do seu exército. A palavra aqui é mobilização!

Clique aqui e ganhe muitos seguidores

Um ponto constante nas preocupações de quem lida com redes sociais diz respeito ao número de curtidores. Ter muitas curtidas ou muitos seguidores não significa, necessariamente, que uma página ou perfil tenha influência. São conhecidas as técnicas de agências ou profissionais de mídia que inflam o número de seguidores usando os recursos mais indecentes, desde a criação de perfis falsos até a utilização de robôs para alavancar, falsamente, os números.
Embora não deva ser algo a ser perseguido a qualquer custo, o aumento de número de seguidores/curtidores é desejado, e deve ser consequência natural do trabalho com as redes. O número de seguidores pode determinar a influência de um mandato e o aumento gradual pode ser conquistado através de alguns caminhos.

A evolução da página do deputado Chico Lopes foi gradual, sem divulgação paga. Os saltos em quantidade de curtidas obedecem uma certa métrica e momentos históricos (como o #LoveWins, quando ganhamos mais de 7 mil curtidores em um dia). Atrair novos seguidores/curtidores faz parte de um processo de dinamização e renovação do conteúdo das páginas, que, por sua vez, reflete as ações do mandato e do próprio parlamentar.

O que vem por aí

As redes sociais não são passageiras. Há quem acredite que até 2020 elas poderão superar a TV tanto em verba publicitária, quanto em nível de importância e credibilidade nas informações. Elas podem servir como escudo ou espada. Uma postagem pode levar uma pessoa ao céu, mas também ao inferno. Por isso, é muito importante uma gestão profissional que trate com responsabilidade a geração de conteúdo, já que por elas (as redes sociais) você irá se conectar ao seu eleitor – passado, presente ou futuro – sem a intermediação da dita grande mídia. Nas redes, não se travam guerras apenas paras as redes. Se travam guerras para além dos bites e teras disponíveis. #VemPraRua que o diga!

É difícil, devido à dinâmica, tentar falar sobre as tendências da internet. Mas certos movimentos clareiam esse horizonte, que por vezes é turvo. A internet no Brasil está em um processo de melhorias. Tecnologias como internet 4G colocam em nossas mãos poderosas ferramentas que hoje, sem o sofrimento de outrora, nos permitem, por exemplo, assistir a um vídeo sem travar. Não é à toa que estamos vivenciando o surgimento dos digital influencers (influenciadores digitais), que entram na sua casa através do seu celular, tablet ou TV e lhe dizem qual é o melhor jogo, a melhor roupa ou a melhor maquiagem. Os vlogs (vídeo logs) voltaram!

O próprio Facebook aposta no “vídeo ao vivo” para garantir a dinâmica na sua rede. Aliás, já percebeu que agora você não precisa nem dar play para o vídeo começar a rodar na sua timeline? O Youtube com “canais on demand”, onde você decide o que e a que horas irá assistir aos programas que você gosta, e que estão disponíveis.

Não é possível prever o futuro da comunicação na internet, por isso, é importante se manter antenado, dialogando com as novidades e com as tendências, mas se tivesse duas fichas eu apostaria tranquilamente em TV sob demanda e criação de conteúdos em vídeo para internet – principalmente Youtube.

Façam suas apostas!


*Thallis Cantizani é publicitário, assessor de comunicação digital do deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE).



FONTE: PORTAL VERMELHO.
[  http://www.vermelho.org.br/noticia/284933-1  ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário